Rua Groenlândia, 538 - Jardim América, São Paulo - SP
Tel: (011) 3051.8442

Blog

O que é puerpério

1 de junho de 2021
O que é puerpério

Quando acontece o puerpério

Primeiramente, Puerpério inicia-se a partir da dequitação da placenta até 60 dias pós-parto.

Podendo ser variável, período no qual o organismo materno retorna as condições normais pré gestacional.

É um momento de transição em que ocorrem intensas alterações fisiológicas e psicológicas nas mulheres, envolvendo tanto aspectos hormonais, como questões familiares e culturais.

Alterações hormonais e ingresso a maternidade com cuidados integrais ao recém nascido, amamentação, alterações do corpo, privação do sono, fazem com que esse período seja um pouco conturbado.

Sintomas do puerpério

Muitas mulheres passam por um período de exaustão com cansaço, muitas vezes se sentem sozinhas, desamparadas para esse novo mundo que iniciou rapidamente.

Por isso, é necessário ficar atento(a) para reconhecer quando esses sentimentos deixam de ser algo fisiológico e passam a merecer maior atenção e acompanhamento especializado.

O que é baby blues

O baby blues (ou blues pós parto) se manifesta em aproximadamente 50% ou mais das mulheres dentro de uma semana após o parto.

Sua origem está associada tanto a questões hormonais quanto a queda nos níveis de estrogênio, afetando indiretamente o metabolismo de neurotransmissores como dopamina, noradrenalina e serotonina.

É uma condição transitória caracterizada por sintomas depressivos leves: tristeza, choro, irritabilidade, ansiedade, insônia, exaustão e diminuição da concentração, bem como instabilidade do humor.

Os sintomas geralmente se desenvolvem de dois a três dias após o parto, atingem o pico nos próximos dias e desaparecem dentro de duas semanas.

O baby blues é comum e conceituado como um nível subclínico de depressão, ou seja, que não é patológico.

O quadro não nem sempre, requer tratamento clínico, as mulheres devem receber conforto, segurança e amparo por parte de familiares e de suas redes de apoio, evitando que evolua para uma depressão pós-parto.

Na depressão os sintomas são mais intensos e duradouros, podendo durar até um ano pós parto em 30 a 50% dos pacientes.

Outros sintomas

Algumas manifestações são:

  • ansiedade sobre a saúde do bebê
  • preocupação com a capacidade de cuidar
  • desânimo
  • desinteresse
  • insônia
  • culpa
  • transtornos por uso de substâncias e ideação suicida.

Suas características clínicas e sintomas são parecidos com os episódios depressivos que ocorrem fora do período pós-parto.

A depressão tem início antes ou durante a gravidez em aproximadamente 50% das pacientes, e também pode se desenvolver como um agravamento do baby blues, ou surgir meses depois do parto, e o principal fator de risco é histórico prévio de depressão.

Dessa forma o acompanhamento dessas pacientes é imprescindível  para evitar agravamento do grado.

Atenção, pois pode interferir na construção do vínculo paterno-infantil.

O que é psicose puerperal

A psicose puerperal, por sua vez, é o transtorno mental mais grave que pode ocorrer no puerpério, tem prevalência de 0,1% a 0,2%, costuma ter início rápido e os sintomas se instalam já nos primeiros dias até duas semanas após o parto.

Apesar de poder apresentar sintomas parecidos com a depressão pós parto (como irritação, agitação e insônia), se diferencia desta na medida em que provoca um afastamento ou ruptura com a realidade, envolvendo delírios, alucinações, ideias persecutórias e confusão mental.

Em quadros graves, a mulher pode não ser capaz de reconhecer seu bebê como “seu”, e ideias de infanticídio podem surgir.

Alguns casos podem ser tratados com medicação e psicoterapia, enquanto outros mais graves envolvem internação.

O puerpério pode ser bastante desafiador e, por isso, todas as mulheres podem se beneficiar de uma rede de apoio neste período, formada por pessoas próximas (familiares, amigos e profissionais) que possam oferecer acolhimento e apoio para atender às necessidades específicas de cada mulher.

Esse suporte pode vir de diversas formas, como: oferecer cuidados com a casa e com as questões práticas do dia a dia, ficar um tempo com o bebê para que a mulher possa ter um tempo para si, respeitar as escolhas da mãe e oferecer uma escuta sensível e empática.

Grupos de mulheres no pós parto (presenciais ou virtuais) podem ser muito valiosos nesse período. Além disso, é importante que existam pessoas próximas que estejam atentas ao estado emocional da mulher no pós parto, para encaminhar a profissionais especializados quando necessário.

Veja também: https://baracat.com.br/ginecologia/fatores-de-risco…etes-gestacional/

Para saber mais me siga no Instagram:

https://www.instagram.com/dra.baracat/